Buscar
  • Claudio Correa Monteiro

Entrevista com Daniel Marx


É uma entrevista com o novo colunista do Amante Literário Daniel Marx, autor do magnifico livro Anjo Maldito:

1 Você se inspirou em qual autor para escrever Anjo Maldito: Stephen King, Dan Brown, Agatha Christie ou Sidney Sheldon?

R. Gosto de todos estes autores, uns mais, outros menos, porém não usei como base nenhum deles, apesar de que Sidney Sheldon e Agatha Christie terem feito parte de minha juventude, um outro autor que não está citado acima é um brasileiro, o André Vianco, e uma de suas sagas passa-se nos ambientes do Brasil, e isso sempre achei muito fantástico, e queria algo assim para os meus livros, e por isso usei como cenário a cidade de São Paulo, com ambientes e locais conhecidos, para que o público pudesse entrar na história de uma forma mais pessoal, mais íntima, pois estariam vivendo com os personagens em ambientes que muitos deles reconheceriam.

2 É o seu primeiro livro?

R. Sim, estava a alguns anos querendo colocar esse projeto para frente, mas me dedicava muito aos textos de teatro, e roteiros para vídeos e curtas- metragens e as colunas que escrevo para alguns sites e blogs. Porém este ano outros serão lançados, um deles trata-se de um livro acadêmico direcionado a área publicitária, este em co-autoria com outros publicitários, também saíra algumas participações em Antalogias, com poemas e contos.

3 Pretende dar continuidade a Anjo Maldito?

R. Sim, Anjo Maldito é uma trilogia e pretendo lançar os dois outros em breve. Estou terminando o segundo livro e confesso que está ficando ainda mais intrigante que o primeiro.

4 É fã de quadrinhos? Se inspirou no personagem John Constantine (que virou filme com Keanu Reeves) para se escrever Anjo Maldito?

R. Gosto muito de quadrinhos, cresci lendo todo tipo de histórias, desde DC Comics, Marvel e Disney, mas o Anjo Maldito não nasceu de nenhuma história em quadrinhos. Quando resolvi escrever este livro eu queria uma história policial, sobre um assassino serial, no modelo do filme Seven, Os Sete Crimes Capitais, estrelado por Morgan Freeman e Brad Pitt, sempre gostei de séries e filmes com investigação e crimes, então escrevi cerca de 90 páginas nesta direção, porém este livro se baseia em muitas pesquisas devido aos símbolos e a forma como eu queria que as mortes acontecessem, e como a investigação seria feita, queria trazer a realidade para a ficção, e foi em umas destas pesquisas que conheci a personagem Lilith, que até então eu nunca ouvira falar, esse personagem me chamou muito a atenção, pela forma mitológica que as pessoas a apresentavam, tratava-se de um personagem que praticamente foi apagado da história, mas que segundos alguns estudiosos e curiosos, existiu, e isto fez com que eu mudasse a linha da minha história, e resolvi envolver além do suspense, um pouco de sobrenatural ao Anjo Maldito.

5 Você é formado em artes cênicas. Pretende escrever algum romance voltado para a sua área de formação?

R. Não, porém quero continuar escrevendo textos teatrais, tanto tragédias quanto comédias, mas em paralelo a literatura.

6 É fã da série Supernatural que no Brasil é conhecida como Sobrenatural, já que Lilith é personagem da série e de alguns filmes de terror como 30 Dias De Noite 2? É fã de filmes e de séries de terror?

R. Já assisti alguns capítulos desta série, porém nunca fui fã, gosto de filmes de terror, principalmente dos antigos como Sexta Feira 13, A Hora do Pesadelo, Halloween, muitas pessoas me falaram tanto desta série, quanto de alguns filmes que fazem referência ao personagem Lilith, confesso que fiquei um pouco desapontado, queria ser o precursor (risos) cheguei a pesquisar muito sobre este personagem, mais preferi não assistir nenhum destes filmes ainda, para que isso não me influenciasse na história, pois já tenho um final em minha cabeça, e não pretendo mudar, e acho que se eu assistisse algo de outro autor seria ruim neste momento, mais vou assistir sim, assim que eu terminar o último livro e mandar para a editora.

7 Qual é o seu gênero literário favorito?

R. Sempre gostei de ficção e fantasia, esses livros me transportam para outra realidade, apesar de gostar de alguns autores que escrevem outro gênero como é o caso do Mário Sérgio Cortella, filósofo brasileiro, minha preferência é a Ficção e a fantasia.

8 Pretende escrever algum livro de fantasia como O Senhor Dos Anéis de J.R.R Tolkien?

R. Sim, está em meus planos escrever alguns livros nesta linha, tenho 8 livros na fila para serem escritos, mas acabando estes, quero me dedicar a um de fantasia e outro biográfico, sobe uma mulher muito importante para o mundo e que é brasileira mas pouco conhecemos sobre ela, mas não vou citar seu nome aqui para evitar que outro autor o escreva antes (risos), neste pretendo fazer uma co-autoria com um historiador, pois trata-se de muitas pesquisas.

9 Como a Bíblia Sagrada foi fundamental para a história já que Lilith, segundo a história, foi a primeira esposa de Adão?

R. Na história original do Anjo Maldito os crimes eram cometidos por um psicopata que se baseava na bíblia para cometê-los, e depois que conheci a história da Lilith só veio a acrescentar e enriquecer a história, pois tinha tudo a ver com o que eu buscava para tornar a história mais enigmática e sombria.

10 Já pensou em romancear alguma peça de teatro sua, já que você escreveu mais de trinta peças de teatro, entre dramas e comédias?

R. Já sim, mais nunca cheguei de fato a amadurecer essa ideia, tem uma de minhas peças que chama-se ENIGMA, é um romance trágico e de época, e que particularmente gosto bastante, pois ela aborda um pouco de romance proibido, tragédia, sobrenatural, inveja e coisa assim, e esse texto que temos que resumir em pouco mais de uma hora ou seja, cerca de 30 páginas, poderia ser melhor explorado em termo de ambientes, personagens, criação de fantasias e suspense, caberia perfeitamente em um livro.


0 visualização

© 2016 por Amante de Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now